sábado, 7 de abril de 2012

De volta ao olho do furacão (2)

Continuação...

Pesquisamos na internet e pegamos dicas com amigos que também adotaram o método. Lá estávamos nós pondo em prática a cansativa e polêmica técnica do "nana neném".

"Nana Neném" é uma técnica criada por especialistas espanhóis, que foi difundida em todo o mundo por sua eficácia e medidas que geraram polêmicas. Resumidamente, a técnica prega que os pais devem criar uma rotina para os filhos, que inclui "a hora de dormir". Sendo assim, quando ele acordar de madrugada ou fora do horário estipulado para dormir, os pais deixam o bebê no berço, acordado (às vezes, chorando), até que ele caia no sono. O método segue uma rotina na qual em determinados intervalos de tempo os pais entram no quarto para que o filho os veja e saiba que não está só, mas sem afagos nem colo.

Às 4h:

-Ufa, ele parou de chorar.
-Tá vendo que ótimo, Paulo?
-Ju, tenho que te contar uma coisa.
-Eu peguei ele.
-PAULO! Você tá roubando!
-Ele tava soluçando e tremendo.
-Paulo, me contaram que tem crianças que vomitam para chamarem a atenção dos pais! Assim não há técnica que resista! Você precisa ser forte!

No terceiro dia, o Antônio Bento estava dormindo A NOITE TODA. Minha sogra, aplicou a técnica também de dia, o que deu mais eficácia ao método.

Muito inteligente, nosso filho percebeu que hora de dormir é hora de dormir. Fizemos o "nana neném" obedecendo o tempo estipulado para que ele não se sentisse abandonado.

É sempre bom deixar uma chupeta disponível e um "ursinho" que ele possa abraçar para voltar a dormir tranquilo. O Antônio Bento tem o "Mike", seu querido amigo e companheiro durante as noites de sono.


Mike, meu inseparável companheiro...

O sétimo mês foi extremamente desgastante, porém, um mês que entrará para a história. Além de ter formado um bebê mais independente, foi neste mês que Antônio Bento entrou no mar pela primeira vez!


Nas águas claras de Cabo Frio...

Durante um final de semana em Cabo Frio, litoral fluminense, nosso filho pôde sentir o gosto da água salgada e o balanço das ondas.

Seu dentinho de cima já está apontando e sentar já não é uma dificuldade. Aliás, posso afirmar que pela primeira vez, o Antônio Bento está se locomovendo sozinho! Numa manhã como outra qualquer, sem o menor aviso, nosso filho partiu em desparada engatinhando como se este fosse seu esporte predileto!



Nosso bebê estava engatinhando bem em frente aos nossos olhos. Foi inacreditável!

Como um pequeno homem, ele já participa do jantar da família, comendo a segunda papinha salgada do dia.
Um mês de cada vez, vamos aprendendo que o tempo e a calma são essenciais para nós pais de primeira viagem.

5 comentários:

  1. Tá, eu sei que em criação alheia não se mete a colher. Mas tem coisa que meu coração de mãe num aguenta e considerando que você colocou num blog vc abre espaço para pitaco. Certo?

    Eu sou completamente contra qualquer método que inclua deixar um bebê chorando. Não acho saudável, não acho legal. Eu entendo o cansaço, juro que entendo. Afinal, eu tenho um filho de 6m que essa semana decidiu que não quer ir dormir antes das 22h. Então, eu entendo mesmo! rs

    Mas é um bebê! É um bebê que precisa de colo, de carinho, se ele chora, é porque ele precisa de vocês. Pode ser dentinho saindo, pode sair dorzinha, e mesmo que não seja nada disso, pode ser que ele queira só um abraço. Você nunca esteve de barriga cheia, limpo, de fralda trocada ( =P ) e mesmo assim se sentia triste e queria um abraço? Alguém te mostrando que estava ali para você não importando o que você fizesse?

    Ele dorme porque entendeu que o é hora de dormir ou porque está tão cansado de se sentir sozinho que é melhor dormir? Se ponham no lugar dele, não tem dias em que simplesmente, não conseguimos dormir, e ficamos lá, de madrugada, procurando o que fazer? A diferença é que ele não tem como procurar o que fazer, ele quer vocês!

    Não é pedir demais que uma criança tão pequena seja tão independente? Não é pensar que nossos filhos são pequenos manipuladores achar que eles vomitam só para chamar nossa atenção? Eles não sabem falar, não sabem andar, será que realmente sabem como provocar vômito voluntariamente?

    Bom, links que podem ajudar:
    http://solucoes.multiply.com/journal/item/38
    http://solucoes.multiply.com/journal/item/39

    Tá, isso já virou um livro. Mas eu preciso dizer uma última coisa.

    Vocês se sentem bem usando esse método? De verdade? Você se sente bem não pegando o no colo enquanto ele chora? Porque se você se sente bem ou não se importa, ok, não há argumento que resolva. E vocês estão fazendo o que acham melhor (sei disso!). Errando ou acertando, sempre fazemos o que achamos melhor.

    Mas se vocês não se sentem bem, se o coração aperta, se o impulso é pegar o filhote no colo e apertar, sigam o instinto. Sigam o coração. Vocês são os únicos que sabem o que o pequeno precisa, não é especialista em porra nenhuma (e nem uma recém leitora que vai saber) que vai dizer o que precisam fazer. Vocês são os especialistas no Antônio Bento.

    Pensem que tudo passa logo, já ele vai dormir a noite inteira e até mais do que vocês gostariam. E mais um pouco ele já pára de dormir a noite inteira para ir para balada... rs

    Boa sorte e parabéns pelo pequeno que é fofo demais!

    ResponderExcluir
  2. Clarisse Almeida9 de abril de 2012 06:08

    Ai Paulo, vou concordar com o comentário da leitora Rô. Nunca consegui seguir esse método embora o conhecesse justamente por achar um crime deixar o bebê chorando dessa forma. E juro que tentei. E não me senti nada bem deixando meu bebê chorando sozinho, tão indefeso. Também sei que o início é difícil mas logo ele se adapta à vida e entra no ritmo da família. Nada melhor que um colinho e um aconchego, vai??? E eles crescem tão rápido... bj

    ResponderExcluir
  3. Rô e Clarisse, Obrigado pelos comentários. Sou do princípio que as crianças também choram porque elas não sabem falar, nem sempre é porque estão deprimidas ou sofrendo feito os adultos.

    É interessante deixar claro que eu não deixo o meu filho chorando, eu ensino ele a dormir, crio para ele uma rotina, o que é diferente.

    Se possível, prefiro dar o carinho e o amor de manhã e não de madrugada. Conheci a técnica pela internet, livro e amigos que a fizeram. Resolvi tentar e não me arrependo em NADA.

    Essa técnica é aprovada por diversos pediatras e neuropediatras, não é uma decisão arbitrária, sem fundamento. Tudo é cronometrado e explicado. Vale a pena vocês conhecerem.

    Quando ele chora, ele está dizendo que gostaria que eu o pegasse no colo (igual sempre fiz - condicionando-o a dormir deste jeito), e isso não é saudável nem pra ele, nem para mim.

    A falta de um sono duradouro pode deixar o bebê irritado, confuso, triste, cansado, prejudicando toda a vida dele e da família.

    Muitos bebês não comem bem porque não tiveram uma boa noite de sono. Eles nem sempre acordam porque estão com medo ou precisando de carinho - mas porque é comum terem insônia nesta idade. Eles não voltam a dormir sozinhos porque não sabem fazer ainda. É preciso ensinar, como tudo na vida.


    Se está tudo bem com ele (seco, limpo, confortável e alimentado), se o choro dele não é de dor (sim, eu sei quando é), amigão, um abraço, é hora de dormir e ponto.

    Segundo os especialistas, um sono duradouro é muito mais saudável para o bebê do que uma noite picada, cheia de carinho ao lado dos pais semi-zumbis.

    Meu filho não é o centro da minha família e ele sempre será criado desta forma. Ele vai aprender desde cedo que outras pessoas moram no mesmo teto que ele e que existe uma rotina em casa.

    Minha mulher também trabalha e, infelizmente, não tínhamos outra solução a não ser ensiná-lo a dormir.

    Muitos pais ficam receosos quanto à técnica pela cultura do choro. Posso afirmar que foi a melhor coisa que eu fiz, meu filho dorme a noite toda e continua uma criança amada, feliz e saudável.

    Entendo os pais que não conseguem fazer a técnica e encaram o choro noturno de outra forma, diferente da minha. Não me sinto bem dando afago para o meu filho sabendo que o melhor para ele é dormir uma noite inteira.

    ResponderExcluir
  4. Oi Paulo, acho que você está certíssimo em manter o método se deu certo com seu filhote. Também concordo que os filhos não devem ser o centro de tudo até porque, se fosse assim, deixaríamos nossas necessidades de lado e anularíamos a nós mesmos enquanto profissionais, maridos, esposas... Tenho muitas amigas que, de fato, adotaram o método, e funcionou muito bem com elas. Infelizmente, comigo não deu certo e meu filho é próprio "bebê zumbi" que vc falou. Às vezes dorme bem, outras de forma péssima. Adoro seu blog, assim como outros relacionados ao assunto, e peço que continue compartilhando suas experiências e impressões sempre porque assim crescemos enquanto pais e mães. Ah, e aí vai um elogio: jamais, em oito anos de maternidade, vi um pai tão antenado, esforçado e, pelo que você transmite, presente como você. De verdade e de coração. Parabéns a vocês e ao filhote lindo e feliz que é um resultado de tudo isso.

    ResponderExcluir
  5. Apliquei a técnica do Nana Nenê desde o começo com minha filha.
    Desde os 3 meses ela dorme a noite toda.
    E a melhor dica para todos os pais.
    Hoje ela tem 1 ano e meio dorme das 7:30 às 6:30 do dia seguinte. Uma bênção!!!!

    ResponderExcluir